Como a cotação de frete automatizada pode reduzir custos?

 

O mundo está vivendo uma Era cada vez mais tecnológica, em que processos que eram feitos de forma demorada e que demandam mão de obra, podem agora ser realizados de maneira automatizada.

E com o período de pandemia, os avanços tecnológicos foram ainda mais adotados na rotina da população, devido à necessidade de isolamento social.

O número de compras online aumentou com as pessoas em casa e, como resultado, as empresas tiveram uma demanda maior de entregas.

Para atender essas organizações com segurança e praticidade, as transportadoras conseguiram realizar cotações de frete automatizadas.

Essa iniciativa, melhora a gestão de recursos, aumenta a eficiência no atendimento ao cliente e reduz custos.

Isso mesmo! Quer entender mais como funciona? Então acompanhe os tópicos que separamos para que você veja os benefícios da cotação de frete automatizada.

 

Como funciona a cotação de frete automatizada

A cotação de frete é feita com a finalidade de estipular o valor da entrega de acordo com a distância, tipo de carga, região, peso, entre outros fatores.

O processo de cotação geralmente é complexo, pois cada tipo de carga pode ter uma recomendação diferente e custos que também podem variar.

Baseada no mesmo princípio da cotação tradicional, a cotação automatizada poupa o cliente de perder tempo com ligações ou envio de e-mails.

Todo processo pode ser feito pela internet, em que o cliente pode verificar as informações sobre o serviço. Dessa forma, consegue mensurar de maneira rápida se o serviço cotado será o que mais atenderá o perfil de sua empresa.

Veja como pode ser feito no item a seguir.

 

Como o processo é feito

O processo de cotação de frete automatizado é feito através de um sistema que, a partir de uma única solicitação, consegue verificar o orçamento de diferentes transportadoras.

Para isso, basta acessar a página específica de processos de cotação, preencher um formulário informando as necessidades de transporte, coleta e entrega de mercadoria.

A partir disso, o sistema já oferece a relação de transportadoras que atendam o que o cliente precisa, além de mostrar os valores cobrados por cada tipo de carga e serviços que a transportadora pode proporcionar.

Depois, é só escolher a opção que melhor se encaixa com a necessidade e, com apenas alguns minutos, escolher a alternativa mais interessante.

 

Quais os benefícios da cotação de frete automatizada

Pesquisar fretes de maneira automatizada representa praticidade, que ajuda na rotina de gestores e das empresas as quais terceirizam o transporte de mercadorias.

O principal benefício é a redução de custos, pois a cotação automatizada garante que os gestores consigam preços melhores, avaliem a qualidade dos transportes e serviços oferecidos.

Outro fator é que processos automatizados elevam o nível da empresa, melhorando a qualidade do atendimento.

Em relação à burocracia de como as cotações eram feitas, a forma automática, com certeza, deixa uma marca visível na agilidade.

O serviço traz ainda inúmeras vantagens para empresas de pequeno e médio porte, no que diz respeito à acessibilidade.

Visto que a terceirização facilita na manutenção da qualidade de serviço, aliado a um custo que pode ser mantido por essas empresas.

 

Quais cuidados devem ser tomados

Apesar de todas as qualidades aproveitadas, ao adotar a cotação automatizada, é necessário ter alguns cuidados.

Por isso, analise com atenção as opções disponíveis, preços e prazos para que contrate um serviço que realmente atenda todas as expectativas de sua empresa.

Procure por serviços que oferecem integração eletrônica de sistemas, para facilitar o acompanhamento das informações.

E pesquise muito sobre a competência da empresa que será contratada, pois você irá confiar a entrega dos seus produtos, para aqueles que mantêm o seu negócio.

 

Como implementar a cotação automatizada?

A utilização de recursos automatizado exige um investimento em tecnologia, com soluções que obtenham funcionalidades para a otimização da cotação de cálculo de frete.

O TMS (Sistema de Gerenciamento de Transporte) garante que os processos aconteçam de maneira mais rápida e, além de auxiliar na cotação de fretes, proporciona auditoria de faturas, gestão de despachos, rastreamento de entregas, etc.

A LMX Logística trabalha com soluções logísticas de frota própria, com profissionais qualificados e tecnologia eficaz. Isso garante um serviço de qualidade.

Nesse serviço, as rotas são controladas via satélite, fazendo gerenciamento de risco de ponta a ponta e central de atendimento personalizada.

Fale conosco para automatizar os fretes da sua empresa e reduza custos. Estamos te esperando!

 

Qual a diferença entre armazenagem e gestão de estoque?

Mudanças acontecem o tempo inteiro no mundo dos negócios. Além do mais, isso envolve também o setor logístico, principalmente no que diz respeito à gestão de estoque e armazenagem.

Para acompanhar o ritmo dessas mudanças que acontecem no mercado e se adaptar às novas exigências do consumidor, é preciso estar atento às oportunidades de uma gestão mais estratégica.

Quando a empresa encontra um meio de aumentar a qualidade das suas operações ou serviços e, ainda, com o menor custo possível, ela realmente está indo pelo caminho certo.

Se você ainda está achando que essa fórmula é inalcançável, continue a leitura deste artigo. Desse modo, você entenderá como o estoque e a armazenagem das suas mercadorias, podem interferir no crescimento da sua empresa.

Gestão de estoque e armazenagem são coisas diferentes

Para começar, existem diferenças conceituais entre a gestão de estoque e armazenagem. Muitos gestores nem sabem disso e levam as duas coisas como uma só.

Esse é o primeiro erro, pois, é preciso entender bem as características de cada atividade, para que elas sejam executadas de forma a gerar os melhores resultados.

A gestão de estoque possui um viés mais estratégico e ajuda a controlar pontos de grande relevância como o abastecimento e saída dos produtos para venda.

Já a armazenagem tem um foco mais operacional e envolve as atividades de recebimento de mercadoria, separação, organização dos produtos nas prateleiras e execução de pedidos.

O que pode melhorar a gestão de estoque?

Como a gestão de estoque envolve ações mais estratégicas, o gestor deve estar atualizado sobre ferramentas e ideias que possam guiar a equipe na execução de um trabalho mais eficiente.

É preciso ter em mente que a automatização de processos é uma realidade cada vez mais presente nas empresas. Portanto, o uso de novas tecnologias se torna indispensável.

Atualmente, existe no mercado uma variedade de sistemas que integram todas as informações a respeito do estoque, como o WMS (Warehouse Management System), facilitando o gerenciamento dos dados e possibilitando uma análise mais apurada dessas informações.

Através desse software, o gestor pode fazer um planejamento logístico mais eficiente, acompanhando em tempo real a entrada e saída de mercadorias e a sua rotatividade.

O inventário, que deve ser realizado regularmente, de acordo com a necessidade da empresa, também pode ser feito com o auxílio do sistema. Isso torna a atividade mais rápida e evita falhas na contagem.

Outro ponto importante é o abastecimento, que também pode ser mais assertivo com a ajuda do software. Os relatórios podem informar quais produtos estão em falta, quais deles têm maior giro ou demoram mais a sair.

Otimizando a gestão de armazenagem

Por se tratar de um processo mais operacional, a armazenagem deve ter a organização como sua peça-chave. Assim, o trabalho é executado com muito mais eficiência.

O layout do armazém deve ser feito de um jeito que se adapte à dinâmica do negócio. Isso vai depender do tipo de produto armazenado, se é ou não perecível, se sai com mais ou menos frequência.

Algumas ferramentas tecnológicas também podem ser usadas para uma boa gestão de armazenagem. Empilhadeiras bem como elevadores facilitam o processo de abastecimento e separação de produtos.

Em negócios de e-commerce, a agilidade proporcionada por esses equipamentos certamente pode implicar em uma rapidez maior na entrega do produto ao consumidor final.

Codificar os itens também facilita na padronização e identificação dos lotes, assim, eles são encontrados com mais rapidez. Os códigos de barra, por exemplo, geralmente fornecem o nome do fabricante, nome do produto, peso e tamanho.

Vantagens da gestão de estoque e armazenagem

Houve um tempo em que a administração dos negócios era focada apenas na parte operacional, com muitas atividades feitas de forma manual. Isso causava falhas e bastante retrabalho.

Hoje, empresas que não possuem uma visão mais estratégica sobre o que entregam ao mercado, vão ficando para trás. Trabalhar apenas por intuição não faz o negócio crescer.

Uma boa gestão de estoque e armazenagem vai trazer resultados positivos, como a otimização do tempo em que cada etapa é executada, possibilitando entregas mais rápidas e redução de custos.

O uso de sistemas facilita a análise de informações que podem ajudar na escolha dos equipamentos mais adequados à realidade da operação, isto é, evitando gastos com material que não será útil.

Também é possível identificar os produtos que têm saídas sazonais, além disso, você pode programar a compra deles para o período certo. Desse modo, você evitará o desgaste do produto que fica parado por um tempo desnecessário.

Todas essas iniciativas resultam na diminuição de custos e no aumento da produtividade. Além disso, melhoram muito a percepção que o cliente tem da sua experiência de compra.

A melhor gestão de estoque é a empresa que consegue consolidar seus embarques e com isso consegue gerar uma economia em um dos custos mais elevados que se tem é o custo de transporte. Além disso, otimizar o transporte de entrega só gera ganhos.

Por isso a LMX é uma excelente opção, pois por sermos uma transportadora conseguimos otimizar toda a logística, realizando o processo com a nossa inteligência logística.

Se você está pensando em melhorar os processos logísticos da sua empresa e reduzir seus custos fixos, a LMX Logística pode lhe ajudar. Entre em contato conosco!

Ad Valorem: O que é e como funciona?

No que diz respeito ao transporte de cargas bem como ao valor que se cobra pelo frete, quem contrata esse tipo de serviço deve ter em mente que o preço final se forma por algumas taxas. Entre elas está o Ad Valorem.

Essa cobrança está relacionada à segurança da carga, além disso, é uma garantia de que a empresa será reembolsada em casos de acidentes, roubos, furtos ou avarias nas mercadorias que estão sendo transportadas.

O valor não é fixo e pode variar de acordo com alguns fatores, que vão desde o peso da carga até o tamanho do percurso que será realizado para a chegada da remessa ao seu destino final.

Por isso, acompanhe este artigo e entenda como funciona essa taxa e de que forma ela deve ser calculada. Continue a leitura e confira a explicação nos tópicos abaixo:

  • O que é o Ad Valorem?
  • Como funciona essa taxa?
  • Critérios para o cálculo do Ad Valorem
  • Como calcular o Ad Valorem
  • Atenção para a negociação

O QUE É O AD VALOREM?

Ad Valorem também pode ser chamado de frete valor, além disso, denomina uma taxa embutida no custo de frete. Ela é responsável pela cobertura em casos de acidentes bem como situações que causem danos à carga transportada.

Qualquer custo que esteja diretamente ligado à segurança da carga, enquanto ela está em posse da transportadora, é incluído no valor desta taxa e calculado sobre o montante da nota fiscal.

Segundo o Decreto-Lei 61.687/67, é obrigação do transportador, garantir a segurança da mercadoria, mas também reembolsar os prejuízos causados por qualquer situação que interfira na integridade da carga.

COMO FUNCIONA ESSA TAXA?

Ad Valorem é cobrado sob o valor da Nota Fiscal da mercadoria transportada, e cobre enquanto a mercadoria está com a transportadora até a chegada da carga no seu destino.

Por ter a responsabilidade sobre a integridade da mercadoria durante o seu transporte ou até que ela seja entregue, se qualquer problema acontecer durante esse período, o cliente deverá ser reembolsado.

Assim, o transportador contrata o seguro de carga como precaução, a fim de minimizar os prejuízos financeiros. Porém, como isso tem um custo, esse valor também se repassa ao cliente através da taxa.

CRITÉRIOS PARA O CÁLCULO DO AD VALOREM

Para chegar ao valor que se cobrará pelo Ad Valorem, diversos fatores precisam passar pela análise. A taxa não tem um valor fixo e compõe o preço final que será cobrado pelo frete, juntamente com outras cobranças.

Entre os fatores que influenciam o cálculo dessa taxa estão, a distância que se percorrerá, o peso da mercadoria, as condições da estrada, nível de segurança da região e a necessidade de manuseio da carga.

Quanto maior for a distância, mais longo será o tempo de transporte. Durante o percurso, a mercadoria está sujeita a interferências, como acidentes ou roubo. Assim, o valor do Ad Valorem aumenta.

Dependendo do produto o Ad Valorem pode variar também, pois é feita uma análise de risco, tem algumas produtos que as transportadoras até negam o transporte, pois as seguradores não cobrem, ou cobrem com um limite. Então é sempre importante informar o seu produto corretamente quando for fazer uma cotação de transporte.

Se a rodovia apresenta condições precárias, há maior possibilidade de acidente bem como, problemas mecânicos que tanto podem atrasar o transporte como causar danos à carga. Isso também eleva o Ad Valorem.

Algumas regiões apresentam um índice de assaltos maior do que outras, o que também representa um risco para o transporte. Por isso, esse fator representa um custo maior da taxa.

 

ATENÇÃO PARA A NEGOCIAÇÃO

Ao longo deste artigo pudemos perceber que chegar ao valor final do Ad Valorem não é tão simples, mas a forma como é feita a negociação com o transportador pode ajudar nisso.

No setor de e-commerce já está se tornando bastante comum negociar um percentual fixo do Ad Valorem para todas as entregas, com a transportadora. Assim, o cálculo do frete é feito de forma mais rápida.

Se ainda resta alguma dúvida sobre essa taxa, a LMX Logística oferece assessoria completa em vários serviços para a sua operação logística, mantendo a qualidade e reduzindo seus custos logísticos.

Temos uma equipe capacitada para oferecer a melhor solução, customizada de acordo com a necessidade do seu negócio. Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas!

A Logística dos produtos para saúde – inclusive vacinas

O assunto que moveu o mundo nos últimos meses foi sobre a distribuição e logística da Vacina pelo mundo, um tema extremamente complexo que afeta toda a logística de todos os outros produtos, a escala e especificações que se exigem para embalar, transportar, armazenar e distribuir lançou o maior desafio logístico vivido desde a 2ª Guerra mundial.

O efeito domino que estamos sofrendo ainda, em decorrência da pandemia é algo que não tinha como ser planejado, isso criou um gargalo nas cadeias de produção e distribuição, e além disso, um foco em como será que atenderemos o mundo inteiro com os produtos para vacinar, além da própria vacina.

Além da falta de infraestrutura mundial para acondicionar as vacinas, muitas empresas precisaram construí gigantescos armazém de baixa temperatura para auxiliar na distribuição global, também reinventamos a forma de transportar. Foi desenvolvido o container de pequeno porte reutilizável, capaz de armazenar um grande quantidade de doses e ainda manter por um período nas temperaturas necessárias.

Estão todos com o foco em garantir a distribuição o mais rápido possível, no entando, as regras para armazenar produtos hospitales são bem rigorosas e dependem do tipo de mercadoria. Estamos trabalhando para conseguir nossa autorização da Anvisa, já estávamos trabalhando nisso antes da Pandemia acontecer, já adequamos nosso armazém as regras exigidas pela Anvisa, e também temos o manual de boas práticas, essencial para o armazenamento dos produtos.

Nós vamos trabalhar com produtos considerados Correlatos, pois para trabalhar com medicamento e vacinas é necessário outro tipo de estrutura, inclusive com controle de temperatura.

Nós sabemos que todos os produtos merecem um cuidado especial, mas errar em produtos para a saúde pode causar um grande gargalo logístico, prejudicar a saúde do próximo e ainda causar prejuízos financeiros e administrativos.

  • Instrução do Fabricante e da Anvisa

Cada produto tem suas instruções de como devem ser armazenados, além disso a Anvisa também cria as regras para armazenamento, e no manual de boas práticas devem estar todas informadas.

Não seguir a risca o que se pede é um risco muito grande para a sua empresa e para a população em geral, por isso é obvio que existe controle e fiscalização na área da saúde.

Os operadores logísticos tem a obrigação de garantir que todas as normas obrigatórias dos órgãos competentes sejam cumpridas.

Como estamos vivenciando com as vacinas, sabemos que os produtos tem suas condições únicas de armazenamento, embalagem e transporte.

  • Boas Práticas precisam estar literalmente em prática

Quem manuseia os produtos para a saúde precisa estar muito bem treinado, toda mercadoria tem sua especificação e treinar a equipe é sempre um bem para a organização, que só sairá ganhando com redução de problemas que podem ocorrer.

No manual de boas práticas é descrito como as operações devem ser realizadas pelo estabelecimento, contém também toda o processo de sanitização, regras de manipulação e higiene.

Esse manual é feito por um profissional especializado, contratado não só para fazer o manual, mas para criar as regras, acompanhar o andamento das realizações, fazer levantamento das não conformidades, criar ações corretivas e manter sempre os funcionários treinados no manual.

Esse manual é validado e comprometido por todos os níveis da organização, e quanto maior o know how da empresa, mais clara a comunicação das responsabilidades que armazenar um produto para a saúde exige.

  • O que são produtos CORRELATOS 

São equipamentos, objetos e materiais aplicados ao paciente, de forma individual ou coletiva.

Os produtos para saúde ou correlato são classificados em quatro classes de risco, conforme o risco associado na utilização dos mesmos:

  • Classe I – baixo risco;
  • Classe II – médio risco;
  • Classe III – alto risco; e
  • Classe IV – máximo risco.

Esperamos ter conseguido esclarecido um pouco de como essa logística funciona.

Se ainda resta alguma dúvida, a LMX Logística oferece assessoria completa em vários serviços para a sua operação logística, mantendo a qualidade e reduzindo seus custos logísticos.

Temos uma equipe capacitada para oferecer a melhor solução, customizada de acordo com a necessidade do seu negócio. Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas!

Logística Verde

O Mundo enxerga cada vez mais a necessidade de nos conscientizarmos das nossas ações em relação a natureza, nós retiramos muito dela e precisamos reduzir o impacto que causamos no meio ambiente, nós da LMX temos uma preocupação muito grande com isso e além de ajudar o meio ambiente, muitas das ações acabam também proporcionando uma redução no custo, por isso não há motivos para não aderir a esse movimento e se tornar uma empresa cada vez mais verde!

Essa consciência começa em medir e reduzir a quantidade de carbono emitido , poluição do ar, do solo, da água,sonora, o importante é pensarmos se estamos fazendo o uso consciente dos recursos que precisamos. Hoje em dia muitos consumidores já começaram a analisar as empresas pela forma que elas retribuem a natureza em relação ao que ela mesmo retirou direta ou indiretamente.

Quais são as medidas sustentáveis então? 

    1. Veículos Híbridos – que já estão aqui, infelizmente  ainda em um valor muito alto para a população, mas quanto menos veículos movidos a diesel, gasolina ou álcool melhor.
    2. Enquanto você não consegue trocar a frota, já pense em fazer uma boa gestão da sua frota, mantendo os veículos sempre com a manutenção em dia, planejando muito bem as rotas e priorizando a consolidação de mercadorias. Todas essas ações trazem resultados duplos para a empresa.
    3. Usar o transporte intermodal, como cabotagem por exemplo, que está começando a tomar forma no Brasil, ainda é uma modalidade pouco usada por não ter estrutura suficiente, mas é um bom caminho para um país tão grande como o nosso.
    4. Painéis fotovoltaicos e outros sistemas de energia renovável, além de criar ambientes que aproveitem a iluminação solar e que reduz o consumo de energia elétria
    5. Reduzir deslocamentos, seja de pessoas, seja de mercadorias, isso o Home Office facilitou muito, e a sua empresa manteve o home office?
    6. Coleta unificada, os operadores logísticos já fazem isso, pois a mesma transportadora vem retirar diversas mercadorias de diversos clientes em um único transporte, além de ser mais econômico, é com certeza uma redução de emissão de gás carbônico ou dióxido de carbono.
    7. Reduzir a utilização de plásticos e buscar soluções biogradáveis.
    8. Você já avaliou se vale a pena ter um único centro de distribuição ou ter vários em pontos estratégicos e mais próximo ao seu cliente, pensando na logística de proximidade.
    9. Utilizar água de reúso, muitos condomínios hoje já tem esse sistema
    10. Ter um descarte correto de resídos nocivos (pilha , bateria, lixo hospitalar, óleo)
    11. Informatize o seu processo no Armazém, dessa forma, diminui a utilização de papel. Quanto mais informatizado você estiver melhor, além de reduzir o custo da sua operação.

Nossas ações

A LMX tem pequenas e contínuas ações para conscientizar e melhorar o meio ambiente. Todos os nossos armazéns estão localizados em condomínios que tem água de reúso, estrategicamente localizado próximos as estradas, sistema sustentável de iluminação natural.

Temos uma campanha permanente com os funcionários que todo material que pode ser reutilizado, e bem acondicionado para ser revendido e esse valor retorna para a equipe que decide em que deve ser usado o valor. Todos da nossa equipe tem seus copos, para evitar o uso de copo descartável.

Um das informações que descobrimos na nossa pesquisa é que o  Brasil está em 4º (quarto) lugar entre os países com mais construções sustentáveis (Green Building Council), vamos continuar e conscientizar cada vez mais pessoas.

Sabemos que a nossa atitude é pequena, mas acreditamos em hábitos e nossa equipe já tem o hábito de reciclar, economizar energia, usar menos papel, entre outras coisas. Temos certeza que vão levar isso pra vida sempre, porque como tudo na vida temos que dar o primeiro passo.

E você tem adotado medidas sustentáveis no seu dia a dia ?

O que é Gargalo Logístico ?

Escolhemos falar de gargalo logístico, visto o que estamos vivendo, podemos dizer que é um dos maiores desafios logísticos que já vivemos. Na verdade essa Pandemia nos fez viver muitas coisas que nunca imaginávamos, aprendemos muito e conhecemos os novos desafios.

Mas o que é Gargalo Logístico? São etapas que levam a algum atraso no processo, e ele pode acontecer em qualquer momento da etapa do processo e pode acontecer por diversas razões, seja por falhas operacionais ou na comunicação, ou por indisponibilidade de recursos, ou processos mal estruturados, mas também vimos que uma pandemia pode causar grandes gargalos.

Vivemos no ano de 2020 a falta de equipamentos para embarques no marítimo, falta de espaço nas aeronaves (por uma demanda reduzida e também por direcionar as aeronaves para transporte das vacinas e insumos para vacina). Tudo isso pode causar um gargalo, e muitas vezes não podemos prever, mas sabemos que pode gerar atrasos e até prejuízos.

Não vamos contar a questão da Pandemia, e sim, os outros gargalos que ocorrem muito nas operações de logística e esses sim, podem ser evitados com alguns passos:

– Manter uma comunicação objetiva e transparente com seus fornecedores

– Definir bem o lote mínimo dos principais insumos ou produtos de venda;

– Ter um bom fluxo de trabalho projetado com previsões de erros operacionais, que sabemos que podem ocorrer o tempo todo

Uma das formas de ter esses pontos que tratamos, é ter bons indicadores de performance, operadores logísticos normalmente oferecem esses indicadores, adotar uma rotina de comunicação e principalmente usar a tecnologia para integrar os pontos críticos, com isso ganha-se muito em agilidade.

Investir em automação de processo e fazer um boa manutenção preventiva dos equipamentos e ferramentas de trabalho.

Além disso, nós percebemos que na Pandemia, as empresas que foram mais rápidas nas decisões, tiveram menos impactos, então ter a informação clara e precisa é essencial para evitar os gargalos, e caso ocorra algo não previsto, ter tempo de resposta. As vezes para ser rápido na decisão, a empresa precisa estar focada no seu core business (negócio principal) e terceirizar os pontos que não são core. Normalmente a logística pode ficar a carga dos especialistas que possuem armazém geral e outros pontos de distribuição, que podem facilitar ainda mais a empresa.

Apesar do tempo de resposta ser muito relativo, as empresas que trabalham com simulações acabam se desafiando sempre e isso pode ajudar em um momento crítico.

 

O profissional da logística precisa de:

    • Planejamento e Hands-on (“mão na massa”)

Quanto mais organizado e planejado o seu dia for, mais eficiente você será, quem trabalha com logística sabe o quanto isso é importante, quanto mais assertivo for seu planejamento, é mais fácil tomar as decisões e bater as metas

 

    • Capacidade de Adaptação

São muitas novidades, e é preciso avaliar sempre as novas ideias, as vezes ficar preso no passado só vai prejudicar a sua operação e você como profissional

 

    • Raciocínio lógico

Esse pode ser um grande diferencial, pois além da afinidade com números e informações estatística, o desenvolvimento doo raciocínio lógico irá ajudá-lo a pensar de forma mais rápida e eficiente, e isso ajuda a tomar as decisões, principalmente sob pressão.

 

    • Inovação

Estamos vivendo na era da tecnologia, tudo se transforma e na logística não é diferente, então quanto mais aberto o profissional for, mais resultado você colherá.

 

 LMX Logística oferece assessoria completa em vários serviços para a sua operação logística, mantendo a qualidade e reduzindo seus custos logísticos.

Temos uma equipe capacitada para oferecer a melhor solução, customizada de acordo com a necessidade do seu negócio. Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas!

Melhores práticas para armazenamento de produtos de e-commerce

Para garantir o sucesso das vendas em seu e-commerce, cuidar do armazenamento de produtos é fundamental. Veja, neste post, quais são as melhores práticas de armazenamento para os produtos de sua empresa.

Ao contrário do que muita gente acredita armazenar produtos é muito mais do que apenas guardá-los em um local.

Esse processo é um dos mais importantes na operação logística de uma empresa.

Não é à toa, pois, um armazenamento bem feito, impacta positivamente todo o processo de vendas.

Para o e-commerce, essa organização tem o papel mais significativo, pois evita problemas de controle, em alta demanda, impedindo que os clientes fiquem insatisfeitos.

Dessa forma, boas práticas na armazenagem de produtos do e-commerce geram maior organização, sucesso do negócio, satisfação dos clientes e ajuda a fazer entregas rápidas e eficientes.

Por isso, neste artigo trouxemos informações de como fazer o armazenamento ideal para o seu e-commerce.

Tipos de armazenagem

Acompanhar de perto as demandas de estoques, entregar produtos dentro do prazo e com qualidade são tarefas que exigem organização.

Caso isso não comece no armazenamento, o trabalho fica ainda mais desafiador.

Por isso, para atender as demandas sem excessos ou prejuízos, o monitoramento dos produtos armazenados é crucial, fazendo a correta gestão dessa armazenagem.

Essa tarefa pode ser feita de três formas: Armazenagem própria, Armazenagem terceirizada ou Estoque descentralizado.

A armazenagem própria é aquela feita pelo próprio empresário. Muitas delas, não possuem um espaço físico destinado a tornar a logística eficiente.

Alguns e-commerces pequenos, por exemplo, colocam seus produtos em espaços familiares, dividindo ambientes com objetos pessoais.

Embora muitos não vejam problemas nessa prática, ela pode resultar em desorganização e perda de credibilidade no mercado.

Já que não há uma organização do armazenamento, muito menos será possível monitorar o estoque, o que causará dificuldades em acompanhar demandas, impedindo que a empresa fature mais.

A armazenagem terceirizada, por sua vez, consiste em utilizar espaços de terceiros para montar o estoque.

No e-commerce, o lojista pode contratar uma empresa especializada nesse assunto (self-storage).

A vantagem de contratar esse serviço, é que, na maioria das vezes, o espaço já é equipado com ferramentas necessárias para a gestão da logística do e-commerce.

Enquanto isso, o estoque descentralizado diz respeito a empresas que optam por armazenar em diferentes tipos de locais, com centros de distribuição. O intuito é atender às áreas que estão espalhadas.

Por se tratar de um investimento maior, esse é um tipo de armazenagem adotado por e-commerces grandes, que atendem diversos lugares, com altas demandas.

A vantagem com esse método é colocar a empresa a frente dos concorrentes, visto que fica mais fácil oferecer melhores prazos de entregas e taxas de recebimento mais baratas.

Porém, exige um planejamento logístico mais detalhado, único para cada armazém, de acordo com a demanda.

O que é e para que serve o picking

No processo de armazenagem, o picking pode ser usado para facilitar que os produtos cheguem de forma correta aos clientes.

Ele é uma estratégia, atrelada ao sistema de gestão para lojas virtuais, que consiste em dois passos: separar os produtos que serão entregues e embalar os pedidos individualmente, para cada cliente.

Sistemas para automatizar armazenagem

Até aqui, você já deve ter percebido que a falta de manutenção no estoque e de práticas adequadas na armazenagem, podem gerar gastos logísticos maiores.

Sobretudo para o comércio eletrônico, que possui um frete mais caro e que, sem controle de armazenamento, pode chegar em uma situação financeira crítica.

Para evitar prejuízos, existem recursos como o WMS (Warehouse Management Systems) e o TMS (Transportation Management System), que auxiliam no controle do armazenamento.

O WMS é um sistema de gestão que administra as etapas de estoque das mercadorias.

Através dele, todo processo, desde o recebimento até a distribuição do produto, é monitorado.

Isso oferece precisão no inventário, controle de localização, redução de desperdícios, controle no estoque e indicadores estatísticos sobre o armazenamento.

Ainda assim, o WMS é mais vantajoso se utilizado juntamente com TMS, um software que se encarrega da gestão estratégica de transporte.

Com ele, é possível realizar cálculos de fretes em tempo real de maneira automática, simular cenários para otimizar as entregas, automatizar a troca de informações com transportadoras e agendar recebimentos.

Portanto, para garantir o sucesso do seu e-commerce, priorize uma armazenagem organizada, com práticas que facilitem o controle do estoque, utilizando essas tecnologias para facilitar o processo logístico.

Não sabe por onde começar? Sem problemas! A LMX Logística tem a solução que você precisa.

Somos especializados em operações customizadas de alta complexidade, gerenciando toda a cadeia de suprimentos, armazenagem, gerenciamento de transporte e controle de estoque.

Clique aqui e saiba mais sobre nossos serviços. Estamos te esperando com a melhor solução!

TMS x ERP x WMS: como funciona cada ferramenta de logística?

O sucesso de qualquer operação logística está ligado à execução eficiente de todas as suas etapas. Para isso, o gerenciamento de armazém deve utilizar todas as ferramentas possíveis para ajudar nesse trabalho.

Dessa forma, a tecnologia pode contribuir muito para organizar processos e otimizar o tempo, como já faz em vários aspectos do nosso cotidiano. Portanto, é preciso conhecer os meios que podem ser úteis.

Entre essas ferramentas tecnológicas estão: o TMS, o ERP e o WMS. Se você não sabe o que significam essas siglas e qual o impacto que elas causam na operação logística, acompanhe este artigo.

 

Como funciona o TMS?

A sigla TMS significa Transportation Management System. Em tradução para o Português é conhecido como Sistema de Gerenciamento de Transporte e Logística.

Essa ferramenta, nada mais é do que um software que facilita o controle da operação logística. Ele tem ligação com a etapa de transporte das mercadorias e suprimentos.

No tocante ao gerenciamento do armazém, o TMS ajuda no acompanhamento dos custos referentes ao transporte bem como manutenção dos veículos, expedição da carga e outros fatores operacionais.

A sua plataforma pode ter a customização de acordo com a necessidade da operação e perfil da empresa. Mas ele não dispensa a ajuda de ferramentas complementares.

 

Entendendo o ERP

Pode-se traduzir o Entreprise Resource Planning (ERP) como Sistema Integrado de Gestão Empresarial. Através dele, é possível trabalhar com uma logística que se integra.

Com o ERP, a empresa pode unir informações de diversos setores em uma mesma plataforma e fazer o gerenciamento de armazém de uma maneira mais prática e dinâmica.

Pode-se utilizá-lo também em conjunto com o TMS e otimizar ainda mais a gestão da operação, integrando tanto a logística, quanto o transporte e demais setores da empresa.

Além de auxiliar no controle de estoque, uma das grandes vantagens do TMS é que ele elimina o trabalho manual e diminui as possibilidades de retrabalho, pois automatiza a atualização de informações.

 

Usando o WMS na logística

Já o WMS significa Warehouse Management System ou Sistema de Gerenciamento de Armazém, em Português. Utiliza-se bastante por empresas de e-commerce.

Isso porque, ele permite que o gerenciamento de armazém seja todo automatizado, facilitando a localização e acomodação de mercadorias no depósito.

Além disso, é possível fazer um controle mais eficiente tanto da entrada quanto da saída dos produtos e diminuindo erros de inventário, por exemplo. Consequentemente, há uma melhoria significativa na logística.

Através de códigos de barras contendo componentes eletrônicos e usando acessórios para leitura de informações, o WMS possibilita que o acompanhamento da carga seja feito em tempo real.

Assim, o responsável pelo gerenciamento consegue identificar a carga com maior rapidez, saber onde os produtos estão, quais suas dimensões e o seu destino final.

 

Por que utilizar essas ferramentas?

A tecnologia veio para somar esforços com o conhecimento em gestão que as empresas absorveram ao longo dos tempos. Acompanhar as inovações é um fator primordial para continuar no mercado.

As ferramentas que citamos acima surgiram para dinamizar as operações, bem como diminuir o trabalho manual. Mas também para facilitar o gerenciamento de informações importantes, das quais depende toda a operação logística.

Ao introduzir esse tipo de software na sua empresa, é possível reduzir a quantidade de mão-de-obra, isto é, com envolvimento no operacional e diminuir custos com pessoal.

E mesmo disponibilizando de menos funcionários e executando as mesmas atividades, a qualidade do serviço decerto melhora bastante, ao contrário do que se pode pensar.

Portanto, é importante conhecer a fundo a real função de cada uma dessas ferramentas e buscar por uma logística que se integra mais, além disso, que traga resultados positivos para o negócio.

 

Procure ajuda especializada

Há quem ainda ache o uso dessas ferramentas bastante complexo. Por isso, a solução que se adequa mais pode ser a contratação de um operador logístico. Ele nada mais é do que uma empresa com especialização nesse tipo de operação.

O operador já tem experiência no manejo desse tipo de software e pode auxiliar na implantação do sistema e migração de todas as informações relativas aos processos.

Em alguns casos, a logística do negócio pode ser toda de responsabilidade da empresa que já terá feito o investimento necessário tanto em tecnologia quanto em treinamento de pessoal.

Assim, a empresa contratante consegue reduzir bastante o custo que teria para financiar toda essa adequação do seu gerenciamento de armazém e tornar a operação mais dinâmica e eficiente.

 

A LMX Logística oferece os mais diversos serviços relacionados à logística e desenvolve uma assessoria customizada, procurando reduzir custos e mantendo a qualidade da sua operação.

Se você tem alguma dúvida com relação a esse assunto, nossa equipe especializada pode lhe ajudar. Entre em contato conosco e fale com um de nossos consultores!

 

Ad valorem: o que é e como funciona? Saiba como!

No que diz respeito ao transporte de cargas bem como ao valor que se cobra pelo frete, quem contrata esse tipo de serviço deve ter em mente que o preço final se forma por algumas taxas. Entre elas está o Ad Valorem.

Essa cobrança está relacionada à segurança da carga, além disso, é uma garantia de que a empresa será reembolsada em casos de acidentes, roubos, furtos ou avarias nas mercadorias que estão sendo transportadas.

O valor não é fixo e pode variar de acordo com alguns fatores, que vão desde o peso da carga até o tamanho do percurso que será realizado para a chegada da remessa ao seu destino final.

Por isso, acompanhe este artigo e entenda como funciona essa taxa e de que forma ela deve ser calculada.

 

O que é o Ad Valorem?

O Ad Valorem também pode ser chamado de frete valor, além disso, denomina uma taxa embutida no custo de frete. Ela é responsável pela cobertura em casos de acidentes bem como situações que causem danos à carga transportada.

Qualquer custo que esteja diretamente ligado à segurança da carga, enquanto ela está em posse da transportadora, é incluído no valor desta taxa e calculado sobre o montante da nota fiscal.

Segundo o Decreto-Lei 61.687/67, é obrigação do transportador, garantir a segurança da mercadoria, mas também reembolsar os prejuízos causados por qualquer situação que interfira na integridade da carga.

 

Como funciona essa taxa?

O Ad Valorem é cobrado no caso da mercadoria transportada não possuir um seguro ou mesmo quando o prazo de cobertura não é suficiente para a chegada da carga até o seu destino.

Por ter a responsabilidade sobre a integridade da mercadoria durante o seu transporte ou até que ela seja entregue, se qualquer problema acontecer durante esse período, o cliente deverá ser reembolsado.

Assim, o transportador contrata o seguro de carga como precaução, a fim de minimizar os prejuízos financeiros. Porém, como isso tem um custo, esse valor também se repassa ao cliente através da taxa.

 

Critérios para o cálculo do Ad Valorem

Para chegar ao valor que se cobrará pelo Ad Valorem, diversos fatores precisam passar pela análise. A taxa não tem um valor fixo e compõe o preço final que será cobrado pelo frete, juntamente com outras cobranças.

Entre os fatores que influenciam o cálculo dessa taxa estão, a distância que se percorrerá, o peso da mercadoria, as condições da estrada, nível de segurança da região e a necessidade de manuseio da carga.

Quanto maior for a distância, mais longo será o tempo de transporte. Durante o percurso, a mercadoria está sujeita a interferências, como acidentes ou roubo. Assim, o valor do Ad Valorem aumenta.

Produtos com o peso mais baixo são mais fáceis de manusear e podem ser alvos mais certos de roubo, se comparado com algo bem mais pesado. Portanto, quanto mais leve, mais alto será o valor da taxa.

Se a rodovia apresenta condições precárias, há maior possibilidade de acidente bem como, problemas mecânicos que tanto podem atrasar o transporte como causar danos à carga. Isso também eleva o Ad Valorem.

Algumas regiões apresentam um índice de assaltos maior do que outras, o que também representa um risco para o transporte. Por isso, esse fator representa um custo maior da taxa.

 

Como calcular o Ad Valorem

No que se refere à distância percorrida, a Associação Nacional de Transporte de Carga (NTC), criou um regulamento com o objetivo de facilitar o cálculo do Ad Valorem.

Assim, desde 2014 é possível determinar os valores da taxa através de sugestões da tabela que se oferece pela NTC, relacionando a distância percorrida com o valor ideal. Portanto:

 

Distância Alíquota
1 a 250km 0,30%
251 a 500km 0,40%
501 a 1.000km 0,60%
1.001 a 1.500km 0,70%
1.501 a 2.000km 0,80%
2.601 a 3.000km 1,00%
3.001 a 3.400km 1,10%
Acima de 3.400km 1,20%
Coleta e entrega 0,15%

 

Atenção para a negociação

Ao longo deste artigo pudemos perceber que chegar ao valor final do Ad Valorem não é tão simples, mas a forma como é feita a negociação com o transportador pode ajudar nisso.

No setor de e-commerce já está se tornando bastante comum negociar um valor fixo do Ad Valorem para todas as entregas, com a transportadora. Assim, o cálculo do frete é feito de forma mais rápida.

 

Se ainda resta alguma dúvida sobre essa taxa, a LMX Logística oferece assessoria completa em vários serviços para a sua operação logística, mantendo a qualidade e reduzindo seus custos logísticos.

Temos uma equipe capacitada para oferecer a melhor solução, customizada de acordo com a necessidade do seu negócio. Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas!