PRODUTOS HOSPITALARES: cuidados na armazenagem

O decreto de uma pandemia internacional pela OMS levou boa parte dos países do mundo a tomarem medidas severas, como fechamento de portos e aeroportos, restrições para viagens e estabelecimento de medidas de distanciamento social, que geraram um efeito em dominó nas cadeias de produção e distribuição.

As formas de prevenção, monitoramento e controle da COVID-19 dependem de processos de logística e distribuição alinhados à produção industrial, de forma a prevenir a falta de itens hospitalares essenciais para a combate à doença. A logística desempenha um papel importantíssimo para a saúde pública diante de epidemias e pandemias. 

No entanto, as regras para armazenar produtos hospitalares são um tanto mais rigorosas do que para outros tipos de mercadorias. E para ter uma boa reputação dentro do mercado, seguir boas práticas para o armazenamento destes produtos é essencial para qualquer empresa do setor. 

Esses produtos merecem cuidados especiais e qualquer erro pode significar grandes prejuízos financeiros e administrativos e quebras na distribuição de insumos. Os órgãos fiscalizadores possuem uma série de critérios para o manuseio, distribuição e armazenamento de medicamentos, correlatos e outros produtos hospitalares.  

Além de toda a documentação estar em dia, é super importante também focar em outros fatores para garantir uma eficiência máxima na rotina de trabalho. Para te ajudar com o dia a dia da empresa, a LMX Logística apresenta algumas dicas de como aliviar o trabalho de armazenamento de produtos hospitalares. Boa leitura! 

 

  • Confira as normas vigentes e às instruções dos fabricantes

Ao se tratar de armazenamento de produtos hospitalares, seu primeiro passo deve ser garantir que todas as normas obrigatórias dos órgãos competentes sejam cumpridas. 

Mesmo sendo uma dica óbvia, é muito importante lembrarmos que o menor descuido pode até interditar seu negócio. Você precisa estar atento às regras e instruções sobre o armazenamento deste tipo de produto.  

Cada mercadoria possui condições únicas para seu transporte, armazenagem e distribuição. Além disso, é preciso se atentar às recomendações sobre o armazém e o contato com outros medicamentos ou produtos químicos no local.

 

  • Treine o pessoal com as boas práticas de armazenamento de produtos hospitalares

Sua equipe precisa estar bem treinada para receber este tipo de mercadoria, pois precisam conhecer as boas práticas que envolvem esse tipo de trabalho. Como, por exemplo, processos de sanitização, regras de manipulação e níveis de higiene.

É preciso que sua equipe esteja antenada nas leis e exigências vigentes de produtos hospitalares. 

 

  • Escolha as câmaras adequadas e defina os critérios para armazenagem

Escolher de maneira correta as câmaras de refrigeração é de extrema importância para a boa conservação dos produtos. Embora todas estejam direcionadas ao mesmo objetivo, cada uma atende às exigências específicas dos medicamentos.

Outro detalhe que é preciso prestar atenção na hora da escolha é do espaço a ser utilizado. Este tipo de produto é adquirido, normalmente, em grande quantidade. Por isso, é preciso definir muito bem os critérios para que nenhum item se perca ou se torne obsoleto dentro das câmaras.

Entre os princípios avaliativos, você pode escolher:

  • fragilidade;
  • tamanho;
  • volume;
  • forma.

Além destes critérios, você também pode, e deve, considerar o fluxo dos materiais para definir sua disposição dentro do armazém. Assim, você facilita o processo de controle de produtos e o giro de utilização. 

Seguindo estas três simples dicas, as chances de erros acontecerem é mínima e você não terá dor de cabeça para armazenar este tipo de material. 

 

 

Ficou com dúvidas sobre a armazenagem de produtos hospitalares? Entre em contato com a nossa equipe que podemos ajudá-lo.

 

 

Por Julia Onorato

Descubra a importância do planejamento tributário na logística

A empresa que se envolve no setor logístico precisa investir em sistemas de informação, gestão de estoque rigorosa, planejamentos, entregas e outros muitos detalhes para que os resultados sejam os melhores possíveis. 

Contudo, o que muitas empresas ignoram, ou até mesmo desconhecem, é o planejamento tributário envolvido em todas essas questões.

Todas as etapas do seu negócio sofrem com os impostos. Por isso, os gestores estão sempre buscando a redução de gastos. Você sabia que a lei permite o planejamento da tributação da empresa? Não? 

Continue lendo para entender sobre o planejamento tributário e sua importância para a logística. 

 

O que é o planejamento tributário?

Planejamento tributário é uma forma legal que as empresas recorrem para reduzir a carga tributária de suas operações. Este planejamento ajuda a sua empresa a ter uma economia financeira maior. 

Ou seja, com o planejamento tributário, as empresas podem recorrer a meios legais para a redução do pagamento de tributos.

Quando a empresa não se atenta ao planejamento tributário, ela pode acabar sendo mais tributada, sem saber que poderia ter economizado. Assim, os custos operacionais ficam consideravelmente mais altos. 

 

Qual sua importância para o setor de logística?

A área da logística, por si, já representa uma das maiores contas de uma empresa, principalmente no que diz respeito ao frete, e um dos pontos que influenciam diretamente nisso é a incidência do ICMS — além do PIS, Cofins e outras taxas obrigatórias.

Assim, quando a empresa realiza o armazenamento das mercadorias, ainda há a incidência de ISS. E isso sem contar os encargos referentes à mão de obra. Inclusive, sabemos que, no Brasil, a carga tributária é elevada e que essas obrigações devem ser cumpridas.

Mas com o planejamento tributário, é possível fazer com que esses custos sejam reduzidos para a empresa. Fazendo com que a companhia consiga aumentar a margem da operação.

O objetivo do planejamento tributário é diminuir as despesas da empresa. Isso quer dizer reduzir o número de tributos pagos e os valores que incidem sobre o negócio – o que é chamado de elisão fiscal. Afinal, você sabe bem que, para ter um produto ou serviço competitivo, chegar a um preço de venda mais baixo é fundamental, e um dos fatores que atrapalham isso são os altos impostos.

 

Como planejar?

O mais indicado, de primeira atitude, é procurar um profissional adequado. Quanto maior a empresa, mais complexa sua atividade, mais trabalho o contador terá. Por isso, se esse for o caso, pode se fazer necessária uma equipe interna. Para empresas menores, terceirizar o serviço para um escritório contábil é o suficiente. 

Mesmo que o trabalho seja terceirizado, é importantíssimo que você e o contador tenham um canal direto de contato e alinhem bem os objetivos. Novamente vale o conselho: escolha alguém em quem você confie, mas também que tenha conhecimento, ética e responsabilidade.

Escolhido o contador, converse com ele e conte tudo o que está acontecendo na sua empresa para que ele aponte o melhor caminho para sua empresa.

 

O que você achou deste post? Já conhecia a importância do planejamento tributário para o setor de logística? Nossa equipe e parceiros estão preparados para auxiliá-lo em caso de dúvidas. Entre em contato conosco!

 

 

Por Julia Onorato

Como funciona a operação de cross docking

O complicado cenário atual, imposto pela pandemia da COVID-19, força empresas a buscarem soluções para otimizar seus processos logísticos. Um dos processos mais procurados é o chamado cross-docking. 

Mas afinal o que é cross-docking? Como essa estratégia pode ajudá-lo a se destacar no mercado e reduzir seus custos com processos logísticos? A LMX Logística tira todas as suas dúvidas neste artigo completo. 

 

O QUE É CROSS-DOCKING? 

Cross-docking é uma expressão inglesa que pode ser traduzida como cruzamento de docas. Na prática, se trata de um diferente sistema para a distribuição de mercadorias, para que cheguem aos centros de distribuição e sejam separadas e enviadas aos seus destinos imediatamente ou, no máximo, em 24h. 

 

COMO FUNCIONA O CROSS-DOCKING? 

Os fornecedores entregam as mercadorias em um conjunto de docas, enquanto o operador logístico ou transportadora separa e organiza as cargas seguindo os pedidos. Em seguida, acomodam-se os lotes nos veículos de entrega para chegarem aos seus destinatários. 

 

 

É importante reforçar que, neste tipo de operação, as mercadorias saem para entrega no mesmo dia, não ficando mais do que 24h no armazém. O armazém serve apenas como área de transição para separação e manipulação das cargas. 

 

QUAIS OS BENEFÍCIOS DO CROSS-DOCKING? 

O cross docking permite que a entrega seja mais ágil, reduza os casos de furtos e elimina a necessidade de uma estocagem. Entre os principais benefícios estão:

 

  • Agilidade na entrega;
  • Controle de qualidade mais eficiente;
  • Redução de furtos;
  • Melhor aproveitamento dos veículos de entrega;
  • Redução de custo logístico;
  • Eliminação da necessidade de estocagem.

 

Como implementar o cross docking?

A implementação do sistema cross docking deve ter como base o cumprimento rígido dos prazos informados aos destinatários das cargas, assim como o desenho e planejamento prévio dos processos operacionais. Para que a estratégia seja bem-sucedida, acima de tudo é preciso que o conjunto de ações planejadas funcione em sincronia. Por isso, é importante considerar os seguintes fatores:

 

  • o investimento em um software de gestão de transportes (TMS) adequado para este tipo de operação;
  • uma boa comunicação interna e externa;
  • o planejamento do processo logístico;
  • a qualificação do time de colaboradores;
  • a busca contínua por um atendimento de excelência ao cliente;
  • as negociações bem feitas com os fornecedores e parceiros de entregas.

 

Logo, colocar o mecanismo em prática requer o alinhamento das ferramentas certas com os processos de trabalho bem definidos e a capacitação de cada profissional. Além disso, é necessário conscientizá-los quanto à correta alimentação e utilização do sistema e cumprimento dos procedimentos padrão em cada função.

 

Quer saber mais sobre o cross docking? Entre em contato com a nossa equipe de especialistas e tire suas dúvidas.

 

 

Por Julia Onorato

Qual a vantagem de ter um Centro de Distribuição em SC

A logística, nos últimos anos, virou parte do processo de planejamento estratégico de muitas empresas. Percebeu-se sua ligação com a eficiência em atender os clientes com mais rapidez e eficácia. Por isso, é super importante buscar mudanças que melhorem os processos da sua empresa. Para alcançar este objetivo, é importante ter em vista um centro de distribuição. 

 

Uma gestão voltada para a eficiência traz ótimos resultados para a empresa como um todo, gerando mais competitividade e diferenciais para seu negócio. Quer entender melhor como um centro de distribuição pode beneficiar a sua empresa? Continue lendo e saiba mais! 

 

O que são os centros de distribuição?

Conhecidos como CDs, os centros de distribuição são unidades construídas que buscam armazenar produtos e organizar de forma mais eficiente a distribuição dos itens que devem ser enviados para filiais ou para os clientes. 

 

Dentro dos centros de distribuição são realizadas as rotinas de gestão de estoque, que incluem recebimento, armazenagem, picking, expedição, emissão de documentação e carregamento dos veículos. 

 

Qual o diferencial para quem tem CDs?

Além dos benefícios para a empresa, ter um centro de distribuição traz competitividade para seu negócio.

 

  • Estoques centralizados

Ao tomar a decisão de ter centros de distribuição, o estoque da sua empresa fica centralizado em um único lugar, evitando, assim, confusões de entrega e armazenamento. Ao invés do fornecedor entregar poucos itens para muitas unidades, tudo vai diretamente para o centro de distribuição. 

 

Além dos benefícios operacionais, o relacionamento com parceiros de negócios fica mais forte e o controle de estoque fica mais preciso, possibilitando diminuir os índices de faltas, excessos e perdas. 

 

  • Maior controle dos processos

Com a unificação de unidade, a separação e a expedição acontecem no mesmo local, tornando o controle dos processos mais simples. Com um CD, o endereçamento das mercadorias é certeiro pelo maior espaço. Assim, nenhuma mercadoria se perde no armazém, economizando tempo dos separadores de pedido. 

 

  • Localização estratégica

A localização é um importante fator para decidir ter um CD. Com o planejamento, alguns fatores, como a tributação do local, a proximidade da fábrica, dos clientes e dos fornecedores precisa ser verificada.

 

A ideia é a otimização, portanto, tanto o fluxo de recebimento quanto o de expedição devem ser levados em consideração ao se calcular o custo benefício de cada localização. Assim, a escolha feita atenderá a todos os requisitos e trará reais benefícios ao negócio.

 

Em Santa Catarina, os principais benefícios são a troca do custo fixo pelo variável, a operação logística completa, redução de custos com a importação com o benefício fiscal que o local oferece, localização estratégica (pois fica próximo do Porto de Itajaí), maior controle dos processos e agilidade nas entregas.

 

Com todos os benefícios citados, a empresa melhora de forma geral o seu desempenho com melhorias internas como a otimização, a redução de custos e o aumento no controle, além de agregar valor ao cliente.

 

A decisão de adotar o centro de distribuição contribui para que a empresa melhore sua imagem no mercado e crie uma vantagem competitiva difícil de ser atingida pelos concorrentes. 

 

Gostou? Quer saber mais sobre os benefícios que Santa Catarina pode trazer para você? 

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

 

 

 

Por Julia Onorato

Como otimizar a logística e o transporte em tempos de crise?

Como já se é sabido, a COVID-19 nasceu no país mais populoso do mundo, a China. Sua transmissão foi rápida e alcançou outros continentes em um período curto. A doença foi considerada uma pandemia e o Brasil está passando por maus bocados durante a crise. O contágio do novo vírus acontece por vias respiratórias e, por isso, muitas empresas resolveram cessar ou dar continuidade nas atividades de forma remota, isto é, levou as atividades para o home-office, durante o período de quarentena. 

 

As decisões tomadas acarretaram uma interferência de peso nos produtos de importação e exportação no mundo todo, ainda mais porque a China é um dos maiores parceiros comerciais do mundo. Mas afinal, como é que o coronavírus impacta diretamente na logística brasileira?

 

Com a falta de operações de exportação, as produções brasileiras, e principalmente a de produtos perecíveis agrícolas como a soja, não são escoadas. Dessa maneira, é preciso buscar novos parceiros comerciais ou direcionar o consumo interno do país. 

 

Este é um momento completamente inédito para todos. Além do reforço das medidas básicas de higiene, o maior cuidado social para reduzir as contaminações pelo novo vírus é o isolamento social. É muito importante evitar aglomerações, incluindo as do ambiente de centros de distribuição, e a operação logística de toda a cadeia de abastecimento está sendo exigida como nunca. Houve aumento da demanda de itens específicos, como álcool gel, luvas e máscaras, além de itens da cesta básica.  Isso esgota os estoques de toda a cadeia, fazendo com que a indústria tenha que aumentar sua produção.

 

Crises como essa intensificam a importância de um bom controle de estoque, que precisa estar abastecido. Portanto, é importante ter um time afiado na separação e montagem das cargas e sua entrega tem que ser precisa para não faltar itens nas prateleiras.

 

Por isso, usar um sistema de gestão de armazém, que possibilita reduzir cerca de 50% das pessoas dentro do depósito para sustentar a sua operação. Somado a isso, um software de gestão pode ser uma boa ideia, pois seu tempo na separação de mercadorias reduzirá em 40%.

 

A cadeia de abastecimento é um setor que não pode parar diante deste cenário caótico, especialmente no que tange à distribuição de itens de primeira necessidade, como alimentação e higiene. Então, além da armazenagem, outro ponto de atenção é a gestão de entregas.

 

O giro de mercadorias se adaptou por conta do novo cenário de confinamento da população, o que leva às compras além da necessidade, por medo de faltar produtos futuramente. Assim, demandam-se mais caminhões de transporte e o problema é que muitos desses caminhões não estão completamente carregados, o que gera gastos extras ao distribuidor. 

 

A saída é usar uma solução de montagens de rotas com auxílio de mapas e geração de trajetos otimizados. Com essas ferramentas é possível realizar uma previsão de custo e distância, além de selecionar o veículo mais apropriado. O intuito é que o distribuidor não sofra o impacto de aumento de custo logístico e o cliente não seja impactado com o desabastecimento.

 

É importante se atentar aos movimentos dos consumidores para entender quais serão os seus próximos passos. 

 

Precisa de ajuda para otimizar o gerenciamento da cadeia de suprimentos, armazenagem, gerenciamento de transporte e controle de estoque de sua empresa e ainda reduzir custos, nesse período de crise? A LMX Logística pode ajudá-lo!

 

Nosso segredo está no planejamento caso a caso, na implementação customizada e no acompanhamento eficiente de cada passo da operação. Otimizamos os processos logísticos para fornecer o suporte necessário, dando a agilidade, liberdade e flexibilidade que sua empresa precisa para atingir a qualidade máxima nos serviços prestados, além de oferecer a possibilidade de reduzir custos operacionais, trocando o custo fixo pelo variável.  

 

Quer saber mais? Entre em contato com nossa equipe comercial.

 

 

Por Julia Onorato

Quais são os efeitos do Coronavírus na logística e transporte?

A pandemia da COVID-19, doença transmitida pelo novo coronavírus, tem causado muitas preocupações em todo o mundo. A doença se espalhou rapidamente por todos os continentes e impacta de forma direta a saúde e a economia mundiais.

No Brasil, os reflexos das medidas restritivas determinadas por prefeitos e governadores, dentre elas, o fechamento de parte do comércio, a redução na circulação de pessoas e o trabalho à distância, estão sendo fortemente sentidos pelos mais diferentes setores da economia, em especial pelos setores de logística e transporte de cargas.

O varejo físico tem sofrido duras consequências durante essa pandemia. O número de clientes caiu drasticamente nas lojas de itens não-essenciais que permaneceram abertas, e zerou nas lojas de shoppings, que foram obrigadas a fechar as portas. Estima-se que a queda no fluxo de clientes tenha sido de aproximadamente 43% desde o início da quarentena.

No entanto, o isolamento social acabou gerando um aumento significativo das compras realizadas por internet. Segundo dados da Ebit|Nielsen, o número de novos consumidores no e-commerce de supermercados brasileiros praticamente dobrou após o início da quarentena. Os principais produtos procurados são alimentos, bebidas, medicamentos e produtos de higiene/cuidados pessoais. Os dados mostram que houve um aumento expressivo nas vendas de produtos de giro rápido – itens da cesta básica, por exemplo, cresceram 165%, seguidos por frios, 106%, hortifrutigranjeiros, 93%, carnes, 59%, e padaria 52%.

A maior parte das empresas não estava logisticamente preparada para esse aumento tão acelerado nas vendas. Redes que realizavam a entrega de pedidos feitos pela internet em cerca de 24 horas passaram a ter prazos de entrega de até três semanas. “É difícil para o consumidor programar uma compra de supermercado para daqui a 20 dias”, diz Jorge Faiçal, diretor executivo de varejo do GPA.

Este cenário ilustra uma forte crise no setor de varejo físico, mas, ao mesmo tempo, traz uma oportunidade para que os comerciantes ajustem suas operações para atuação em meios digitais. Quanto mais ágil for a tomada de decisão pela empresa, menores serão os impactos nos resultados operacionais e financeiros. E, somente com um sistema eficiente de gestão de logística, sua empresa conseguirá se adequar rapidamente às mudanças bruscas que estão acontecendo.

 

Transporte de cargas, importação e exportação

A logística de transportes enfrenta os dois extremos da crise: a urgência e alta demanda em segmentos como o alimentício e o de medicamentos e a falta de matéria prima e mão de obra em segmentos como o eletrônico e o automotivo. Com esses novos desafios, as empresas terão que se adequar ao “novo normal” e inovar para que ganhem eficiência no processo logístico.

Bens duráveis e semiduráveis, como eletrônicos, roupas e móveis ainda tendem a ter compras adiadas, de acordo com estimativa da assessoria econômica da Fecomercio/SP. O consumo no curto prazo deve ser prioritariamente de produtos básicos, como alimentos, remédios e produtos de higiene.

Do outro lado do cenário, estão as operações de importação e exportação, que foram afetadas de maneira negativa, visto que o envio e recebimento de mercadorias acabou comprometido em meio à crise da COVID-19. Docas, armazéns e portos chineses estão abarrotados de produtos a serem transportados, mas faltam mão de obra e veículos.

A paralisação da movimentação de cargas nos portos chineses, definida pelo governo do país como medida de contenção ao coronavírus, fez com que algumas companhias sofressem ainda com a falta de contêineres disponíveis para exportação. Parte dos contêineres que foram enviados à China ficaram com cargas paralisadas no país em fevereiro e ainda não retornaram ao Brasil. Em três semanas de paralisação das atividades portuárias, já se registrava uma queda de aproximadamente 96% no movimento de contêineres.

Os desembarques chegaram a cair de 50 mil/dia para 2 mil/dia. Por consequência, operações em todo o mundo sofreram impactos, com reflexos na distribuição local dos produtos importados e um efeito cascata também no Brasil.

De acordo com a definição, a evolução está relacionada a mudanças ocorridas em um longo período de tempo, enquanto a revolução é a mudança abrupta na organização estrutural de uma sociedade, ocorrendo em um período relativamente curto de tempo. Atualmente a COVID-19 trouxe mudanças significativas quanto às relações de compra e venda e às formas de trabalho, transformando a economia.

Crises como a que estamos enfrentando intensificam a importância da gestão eficiente da cadeia de suprimentos, do gerenciamento de transporte e de um bom controle de estoque. A LMX Logística oferece um sistema de gestão de armazém que auxilia na otimização dos processos logísticos, dando a agilidade, liberdade e flexibilidade que sua empresa precisa para atingir a qualidade máxima nos serviços prestados.

 

Quer saber como podemos ajudá-lo à otimizar os processos logísticos de sua empresa? Entre em contato com nossos especialistas e eles poderão te ajudar!

 

Rastreabilidade de produtos: você sabe qual sua importância?

A rastreabilidade deveria ser uma exigência padrão de todos os que contratam um serviço logístico, pois esse tipo de tecnologia permite às empresas acompanharem toda a trajetória de seus produtos e mercadorias.

O uso da rastreabilidade torna o transporte mais seguro e transparente para sua empresa, pois assim você pode saber exatamente o que, onde e quando foi feita alguma coisa com seu produto. 

A LMX busca sempre uma relação transparente e de confiança com seus clientes e parceiros. Isso, além de garantir um controle de qualidade eficaz, ainda garante que a entrega seja feita da melhor forma para o consumidor. 

A seguir, a LMX te mostrará como a rastreabilidade é importantíssima na cadeia produtiva. Confira! 

 

A rastreabilidade de produtos

É muito importante você se interessar por todos os passos da cadeia logística e da trajetória da sua mercadoria. Por isso, a rastreabilidade traz todas as informações, desde qual a origem do item, qual etapa da produção que se encontra, de onde ele veio e até as ações que foram tomadas com ele durante a trajetória.

Esse tipo de prática traz muito valor para as empresas, pois passa credibilidade para seus clientes.

 

A tecnologia

O uso de tecnologia permite que a rastreabilidade do produto seja feita de diversas maneiras, desde sistemas até app’s no celular. Esse processo é feito em segundos, graças à identificação por meio de etiquetas e códigos de barra. Por este motivo, é essencial ter uma boa organização nos registros em toda a cadeia.

 

Transparência na cadeia produtiva

Em todas as etapas de produção que os itens passam, é obrigatório que seja feito o registro de cada ação realizada. Dados como data e localização são essenciais para se rastrear de forma assertiva seus produtos e mercadorias, além de possuir um histórico completo.

Caso aconteça qualquer imprevisto nas etapas da cadeia logística, com os registros e históricos, é possível saber qual foi o momento que o erro aconteceu.

Como a cadeia é composta por muitas etapas, fica difícil acompanhar tudo que acontece nela de perto. Por isso, quando a rastreabilidade é inserida no seu negócio, toda a cadeia e suas etapas podem ser identificadas. 

É essa transparência que traz credibilidade e tranquilidade aos seus clientes e envolvidos na produção. A informação é a prioridade.

 

Otimização do controle de qualidade

Ao entrar num mercado, todo produto passa por um controle rigoroso de qualidade. Esse procedimento é perfeitamente normal e faz parte do processe de entrega ao mercado e consumidor final. Possuir todo o histórico do produto é muito importante e útil para os que trabalham nessa área. 

Conhecendo cada etapa que o produto passou, o procedimento se torna mais rápido e eficaz. A cadeia ajuda a entender quais as medidas de qualidade foram aplicadas e o registro forma o histórico do produto. 

 

E aí? Viu como a rastreabilidade é algo importante na logística do seu negócio? Ficou com dúvidas? Entre em contato com nossos especialistas e eles poderão te ajudar! 

 

 

 

Por Julia Onorato

Você conhece os modais logísticos?

Hoje em dia, existem muitos tipos de modais logísticos para atender todas as demandas. Além dos tradicionais, existem outros modais pouco conhecidos, mas muito importantes. 

Para conhecer os tipos, seus custos e características, continue lendo este artigo!

 

Quais são os tipos de modais logísticos que existem?

Existem diversos tipos modais, uns mais conhecidos que outros, mas todos com suas particularidades e importância. Confira abaixo:

 

  • Transporte rodoviário

Este é o tipo mais conhecido e utilizado nacionalmente. Hoje, é responsável pela maioria da distribuição de insumos no Brasil. 

Sua maior vantagem é a sua agilidade e a possibilidade de trabalhar com rotas flexíveis de curta e média distância. 

Normalmente, o transporte rodoviário é usado para transportar produtos acabados e semiacabados, produtos com alto valor agregado, perecíveis e alguns materiais pesados.

 

  • Transporte Ferroviário

Excelente opção para transportar cargas de grande volume e que se deslocam por grandes distâncias. Sua diferença para o transporte rodoviário é que o transporte ferroviário não possui a mesma flexibilidade de rotas. 

Um dos grandes benefícios deste modal é sua baixa estrutura de custos. É ideal para transportar produtos em larga escala. Normalmente, utiliza-se o modal ferroviário para transportar produtos siderúrgicos, derivados do petróleo e commodities em alta quantidade.

 

  • Transporte Aquaviário

Realizado em rios, lagos ou mares, é indicado para o transporte entre grandes distâncias (normalmente entre países ou até entre continentes).

Indicado para transportar grandes volumes nos mais variados estados físicos. Ele não disputa espaço com outros modais de transporte e as rotas, em sua maioria, não são fixas. 

 

  • Transporte Aéreo

O transporte aéreo é o modal mais ágil de todas. Ele opera em grandes distâncias ou até dentro do mesmo território. Existem limitações de volume de carga, peso, quantidade e tamanho. 

Normalmente, é usado para transporte de produtos frágeis, com curto prazo de validade, mercadorias de grande valor e quando seu transporte é emergencial. 

 

  • Transporte Dutoviário

Ocorre por vias subterrâneas, através de dutos e tubos. Permite o transporte entre longas distâncias de gases, alguns fluídos, sólidos granulares e líquidos.

Os custos iniciais para a implementação das operações deste modal são os mais altos dentre as demais possibilidades de transporte, principalmente em termos comparativos. Porém, justifica-se em operações específicas, normalmente, na condução e comercialização de componentes no estado gasoso.

 

Dentre estes modais, qual é o mais caro?

Em ordem decrescente: 

  • Transporte Aéreo
  • Transporte Dutoviário
  • Transporte Rodoviário
  • Transporte Aquaviário
  • Transporte Ferroviário

 

Dúvidas sobre os modais logísticos? Entre em contato com a nossa equipe de especialistas! 

 

 

Por Julia Onorato

O que são operadores logísticos?

Ao longo dos anos, as empresas foram aprimorando suas estratégias. Estas mudanças fizeram com que as organizações se adaptassem aos novos mercados que surgiam. Estas adaptações vieram por meio do que chamamos de “lei” da oferta e demanda. 

Com as mudanças e novos padrões, as empresas mais novas apareciam no mercado procurando atender negócios diferentes, pois se especializam em partes e atividades fundamentais nos processos empresariais.

Por isso, a LMX decidiu esclarecer de uma vez por todas o que são os operadores logísticos. Ao longo do texto, abordaremos suas funções e ilustraremos a importância que estes profissionais têm para as companhias. Confira! 

 

Operadores logísticos: quem são e o que fazem?

Diferente do que muitos pensam, operadores logísticos são empresas atuantes na terceirização de serviços logísticos. Normalmente, as pessoas associam um operador logístico com um cargo ou uma profissão. Porém, esse conceito não é adequado.

Operadores logísticos são empresas que fornecem todos os processos e serviços logísticos ou de gestão para outras empresas. Além de tudo, em algumas ocasiões, ofertam mão de obra especializada para algumas atividades específicas do ciclo logístico.

 

Qual a importância dos Operadores Logísticos?

A competitividade de mercados é uma das principais motivações da demanda pelo serviço do operador logístico. Atualmente, a logística circula por meio de diferentes atividades do processo de venda e distribuição das companhias. Esta ação, naturalmente, atinge a lucratividade das empresas e a imagem que ela passa para seus clientes.

Pelo grande número de atividades em uma mesma empresa, terceirizar o serviço logístico é uma excelente opção para profissionais especializados em determinada área da empresa. Assim, se tira uma responsabilidade da mão de pessoas que podem focar sua atenção em outros processos da companhia. 

Os operadores logísticos surgem como uma solução de menor custo e alta eficiência (principalmente em alguns segmentos do processo, como, por exemplo, na locação de armazéns onde o investimento inicial é altíssimo.

Os operadores logísticos dão abertura para que as empresas se concentrem na execução de demais atividades em outras áreas importantes do negócio, quer sejam de cunho administrativo, operacional, financeiro, dentre outras.

 

Tem interesse em contratar um operador logístico? Entre em contato com a LMX para tirar as suas dúvidas e conhecer nossos serviços.

 

 

Por Julia Onorato

Vantagens em contratar um galpão logístico

Para entrar no mercado competitivo da área logística, sua empresa precisa de recursos. O mais importante, é que você tenha um bom espaço físico. Essa é uma das maiores preocupações de muitas empresas, já que o preço dos espaços vem aumentando, cada vez mais. Mas calma! Não é preciso se preocupar! A solução para esses casos é muito simples, barata e segura: galpões logísticos!

Os galpões logísticos são uma excelente alternativa para seu negócio que precisa de mais espaço para as atividades. Alugar é a opção mais acessível, falando de forma econômica. Além disso, ele traz muitas vantagens para quem o contratar. Abaixo, a LMX Logística demonstra as vantagens de alugar um galpão logístico.

 

  • Investimento inicial baixo

É óbvio que alugar um galpão logístico é bem mais barato que construir ou comprar um galpão inteiro. Por isso, a sugestão é o aluguel. É mais prático, mais barato e até mais seguro. É fácil de encontrar um lugar que atenda às suas expectativas e suas necessidades. Para alugar, é preciso apenas cobrir os custos do aluguel e a documentação necessária.

 

  • Expansão das operações

O aluguel de um galpão logístico permite que você aumente suas operações conforme a necessidade do seu negócio. Permite também a possibilidade de descentralização dos processos de produção e até o estoque. A eficiência e o desempenho do operador logístico melhoram seu nível de eficiência na entrega, aumentando, assim, a credibilidade da sua empresa com seu cliente.

 

  • Localização em grandes centros

É importante lembrar que os melhores locais para armazenar suas mercadorias são os centros urbanos. Lá, a possibilidade de vender melhor é garantida. Na maioria das vezes, os galpões estão localizados em locais estratégicos, facilitando as entregas. 

Além das vendas, o local estratégico ajuda no transporte da mercadoria, que se torna mais rápido e barato. 

 

  • Estrutura mais adequada

Por já ter uma estrutura pronta e adequada, o galpão logístico está preparado para receber operações logísticas e estoques. Assim, o processo se torna mais prático, mais eficiente e com custos reduzidos. 

A tecnologia aplicada no galpão logístico também é uma vantagem. A LMX Logística, por exemplo, possui um WMS (Warehouse Management System), sistema de gestão de armazém, que auxilia na otimização de espaços e organização do fluxo e distribuição dos produtos, se integrando aos sistemas de gestão de informações corporativos (ERP). Assim, atendemos nossos clientes com as melhores opções para suas necessidades. 

Essas são algumas das vantagens que um galpão logístico pode trazer para seu negócio. É importante estar atualizado para que entenda sobre as demandas da sua empresa e para que você contrate o galpão que mais atenda às suas expectativas. 

 

Precisa de um galpão logístico para armazenar suas mercadorias? Entre em contato conosco! 

 

 

Por Julia Onorato