O que é Armazenagem Flow-Rack?

Conhecido por sua versatilidade, o sistema de armazenagem Flow-Rack possibilita a estocagem modo FIFO (First In, First Out). Este método dita que os itens devem ser mantidos no armazém por ordem de chegada, de forma cronológica. Ou seja, o primeiro que chegar tem que ser o primeiro a sair também.

Essa organização é parecida com uma fila e deixa a retirada dos materiais mais fácil e a reposição de estoque também.

O que é a armazenagem Flow-Rack?

Um dos maiores exemplos de desenvolvimento das formas de movimentação dentro de um armazém é o uso de esteiras para a movimentação de caixas e embalagens  entre as áreas do depósito.

Desse jeito, nasce o Flow-Rack, um processo parte da estocagem e da expedição de pedidos. Estes pedidos podem ser endereçados para os clientes ou para a linha de  produção.

Como o Flow-Rack funciona?

Para esse processo funcionar, é preciso moldar a área de estocagem para que a movimentação das prateleiras seja o mecanismo protagonista. Assim, adotar roletes e rodízios é a melhor opção para atingir o sucesso.

Após entrar no depósito, o material é colocado na prateleira específica. Com a inclinação da estrutura, a peça desliza até a ponta, formando um fila. Quando este é retirado, o produto seguinte entra no lugar. Logo, se mantém-se a ordem do “primeiro que entra, primeiro que sai”.

Este método funciona melhor para empresas com estoque de peças e embalagens de menores dimensões, pois o Flow-Rack depende da ação da gravidade.

Quais são as vantagens do Flow-Rack?

1) Aumenta a eficiência da saída dos pedidos: desde as tarefas mais simples (localização da mercadoria, separação e embalagem) até as mais complexas, é nítido que o flow-rack agiliza as atividades.
2) Garante a integridade física das mercadorias: Evita avarias, pois as colisões e quedas são raras e, assim, previne prejuízos.
3) Favorece o abastecimento da linha de produção: A área de produção não vai superlotar ou sofrer com falta de produtos, pois o reabastecimento é de acordo com a necessidade.

E aí? Gostou da tecnologia Flow-Rack? Tem mais dúvidas sobre logística? Entre em contato com a nossa equipe para saber mais.

Por Julia Onorato

Logística: descubra três curiosidades sobre este ramo!

Como tudo no mundo, a logística também possui uma história de jornada para ser do jeito que a conhecemos hoje. Por isso, apresentaremos três curiosidades sobre a logística que, muito provavelmente, você ainda não conhecia.

  • A Logística surgiu durante o período de Grandes Guerras

Em todo filme sobre guerras aparece uma cena em que o comandante da operação mostra as melhores estratégias para ataque, maneiras de estocar alimentos e equipamentos. Toda essa conversa é pura logística! Foi durante períodos de guerra que a logística surgiu.

Por mais recente que seja este assunto, a logística é tão antiga quanto às guerras. Durante esses conflitos, os grandes exércitos precisavam garantir a manutenção de seus recursos. Além, claro, de garantir o deslocamento das tropas, armas e suprimentos.

Nesta época, existia o responsável por traçar cada caminho, para que o exército transitasse por áreas seguras, com temperaturas ideias, água disponível e várias outras condições que ajudassem na sobrevivência dos soldados.

Por isso que, normalmente, quem trabalha com logística acaba mandando muito bem naquele jogo de tabuleiro War.

  • A Logística no Brasil

Mesmo sendo uma senhora, a logística conseguiu amadurecer comercialmente no Brasil apenas na década de 1990. Quer saber o motivo? A gente te conta! Foi nessa época que se instalou o processo de redução das alíquotas de importação.

Com a abertura do mercado internacional, as empresas brasileiras se viram obrigadas a competirem mais ferozmente. Levar o produto para perto do seu consumidor final, era um baita diferencial.

  • Recorde Olímpico

Nas Olimpíadas de 2016, no Brasil, o crescimento da logística foi indiscutível. Durante os jogos, 30 milhões de itens foram movimentados. Mas os operadores logísticos não finalizaram suas atividades no final das Olimpíadas. Eles só terminaram um ano depois. Curioso, não?

Isso aconteceu porque a logística é sempre a última a sair e após a desmobilização e a logística reversa.

Equipe LMX

Veja também:

Vantagens ao contratar um operador logístico

Capitania dos Portos aprova navegação noturna e maior calado em Paranaguá

O embarque e desembarque de cargas no Porto de Paranaguá deve ganhar mais agilidade e maior capacidade muito em breve. No dia 8 de agosto, a FAEP participou de uma reunião no litoral convocada pela Capitania dos Portos do Paraná. Esta reunião tratou da homologação do aumento do calado de todas as áreas úmidas do Porto. Com isso, a medida do calado passou de 10,60 metros para 10,90 metros (para todas as cargas exceto granéis).

Também foi autorizada a navegação noturna, que até então era proibida. Com isso, além de poder aumentar o volume de cargas, as embarcações poderão operar noite e dia. Gerando rapidez e agilidade nas operações de exportação e importação.

Segundo Nilson Hanke Camargo, representante da FAEP, há oito meses foi realizada uma dragagem de manutenção e aprofundamento que já permitiria o aumento de calado. Porém, a Marinha do Brasil, responsável pela homologação, não havia autorizado esta mudança.

Participantes

Participaram da reunião: integrantes da comunidade portuária, práticos, operadores portuários, representantes do poder público e dos usuários, onde se enquadra a FAEP.

Na ocasião, o comandante da Capitania dos Portos, Germano Teixeira da Silva, alegou a necessidade de segurança máxima por parte da Marinha no tocante ao processo de homologação e informou a todos que este aumento de calado será feito gradualmente, de modo a atenuar qualquer ameaça ou risco na navegação.

Segundo ele, os próximos aumentos serão de 30 em 30 centímetros. Até se chegar à meta de 12,50 metros de calado para cargas gerais. Para as cargas em granéis, a meta é chegar a 13,50 metros de calado nos próximos meses. Com isso, é permitido um maior embarque e desembarque de cargas nos terminais.

“O término da operação de dragagem de aprofundamento, previsto para outubro deste ano, vai possibilitar o acesso de navios de maior capacidade, o agronegócio tem muito a ganhar com isso, pois vai proporcionar a possibilidade de embarcar navios maiores e mais cheios, uma vez que hoje as condições do porto não permitem que muitas embarcações saiam completamente carregadas”, afirma Camargo.

Fonte: Portos e Navios

Equipe LMX

Veja também:

Porto santista movimentou 64,5 milhões de toneladas em 6 meses

Entenda o que acontece dentro de um processo logístico de uma empresa e qual a sua importância

Para entender o processo logístico, é preciso compreender o que significa logística. Este termo é muito usado em conversas e reuniões de empresas, mas o que é logística de fato?

A palavra tem origem grega e também do francês “logistique”, ela se associa com álgebra e lógica matemática. Em uma tradução livre, significa planejamento e realização de vários projetos.

A palavra ficou muito popular durante a guerra, como uma área do exército que cuidava do planejamento de processos importantes. Como, por exemplo, armazenamento, distribuição e manutenção de itens. Essa área manuseava itens como armas, alimentos, roupas e também remédios. A sua principal função era garantir que eles estivessem prontos para utilização no local e no momento de necessidade.

Ou seja, como não dá para produzir um produto na hora e local em que precisa ser consumido, é preciso se armazenar as mercadorias produzidas e transportá-las. A logística é a área que cuida para que estes produtos estejam disponíveis no local de consumo ao menor custo possível.

O processo logístico é essencial para o funcionamento harmonioso de qualquer negócio. Se não há quem compre e controle a matéria-prima necessária para a produção de um item, como serão produzidos os produtos e materiais que a empresa leva para o mercado? E se não há quem cuide dessa distribuição e do transporte, como o produto poderá chegar às mãos do consumidor final?

Etapas do processo logístico

1)      Administração de materiais e recursos

É a etapa em que se faz um levanta de forma precisa e detalhada as necessidades de cada área da empresa. Ou seja: tudo o que é preciso para que a produção seja feita e distribuída.

É fundamental que os estoques estejam organizados e preenchidos de acordo com as demandas que surgirem. Assim, não existe o risco de faltar ou sobrar produtos.

2)      Armazenamento

Esse processo consiste em métodos e técnicas de proteção, conservação e controle de todos os produtos disponíveis em estoque para uma possível distribuição.

Depois de prontos, os produtos e mercadorias são guardados nos chamados centros de distribuição até serem transportados para os compradores e compartilhados no mercado.

3)      Distribuição

Etapa ligada ao transporte dos produtos finais e aos métodos, sistemas e equipamentos utilizados. Além dos prazos de saída e entrega das mercadorias para o consumidor.

4)      Administração de compras

Esta etapa é ligada a tudo que será preciso comprar para que os materiais sejam produzidos de forma efetiva e no tempo determinado. Isso inclui a escolha dos melhores fornecedores, tipos de matéria-prima, quantidades, orçamentos e preços.

5)      Transporte

Agora, é a hora de escolher o meio de transporte ideal para a distribuição das mercadorias, dos profissionais responsáveis, do controle e prazos de entrega. Tudo deve ser entregue de forma segura e com total qualidade que o consumidor almeja.

Aqui na LMX, além de todas essas etapas citadas acima, também contamos com a etapa da logística reversa. A Logística Reversa de caráter sustentável surgiu com o intuito de viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial através de um conjunto de ações para reciclá-los ou reutilizá-los.

É um processo que se dá também com a coleta de produtos devolvidos por diversos fatores. Como, por exemplo, devolução por troca, garantia, avarias, erro no processamento de pedido, entre outros.

A LMX tem em vista a criação de campanhas de educação para um consumo consciente. Além de uma fiscalização dos processos da logística reversa. Assim sendo uma constante preocupação para a empresa e seus colaboradores.

Equipe LMX

 Veja também: 

Porto de Imbituba cresce 14% no primeiro semestre