Polícia Civil reduz gastos com combustível ao aderir sistema de gestão de frota

Nos últimos quatro anos, a Polícia Civil de São Paulo registrou uma queda no montante de gastos destinados ao abastecimento de viaturas. O órgão possui mais de 10 mil veículos próprios.

O órgão ainda responde pela segunda maior frota de São Paulo. O serviço de gestão de frota para abastecimento de veículos da ValeCard começou a ser utilizado em 2014.

Esta permite um controle preciso do uso de combustíveis nos veículos, além de garantir transparência. E também uma rede de postos por todo o Brasil com indicador de melhor preço e qualidade.

Edson Minoru Nakamura, delegado divisionário da Divisão de Transportes da Polícia Civil de São Paulo diz que o resultado foi importante para o Estado. “Com o serviço de gestão de frota, conseguimos controlar todo o uso de combustível para os nossos veículos. Além disso, ganhamos mais eficiência e transparência nestas operações. Isso resulta em um melhor controle do gasto com os recursos públicos”, destaca.

Ganhos na gestão

Ainda de acordo com Nakamura, um dos grandes desafios de gestão era o controle do uso de combustível das viaturas. Antes eram realizados, em sua maioria, apenas em unidades próprias do órgão. “Na capital, tínhamos nove postos próprios para abastecer os carros. Porém, para conseguir abastecer as viaturas da Grande São Paulo e interior, nós enviávamos recursos para postos destas regiões”, comenta.

Com o sistema de gestão de frota, este processo ficou mais fácil e rápido. Os policiais só precisam usar o cartão de gestão de frotas em um dos postos credenciados. O ganho de eficiência também é importante no dia a dia dos policiais, que antes precisavam se deslocar até os postos próprios da Polícia Civil. Agora, basta escolher os postos listados e com o melhor preço da região para realizar o abastecimento das viaturas.

Outra dificuldade para o órgão com o sistema de postos próprios, era fazer o gerenciamento de recursos usados pela frota. Pois não existia um controle transparente de como usavam o combustível ou quanto era usado por cada viatura. Segundo Nakamura, um dos motivos que levou a Polícia Civil a contratar um serviço de gestão foi o controle total da frota e verificação da quilometragem, capacidade de tanque, média dos veículos, entre outros parâmetros oferecidos pela tecnologia.

“Hoje, temos informações de quilometragem e rendimento de cada viatura em tempo real, além de fiscalizarmos cada abastecimento junto aos subgestores das subfrotas. Ter este controle é muito importante para nós”, explica Nakamura.

Fonte: Mundo Logística

Equipe LMX

Veja também:

Antaq deve mudar sistema usado para reajustar tarifas